quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

EM 2010 A CAMINHADA PROSSEGUE! OBRIGADO!

CHELLMÍ * JOVEM ESCRITOR PAULISTA



Esse ano foi de correria, derrotas e vitórias também, 2009 jamais se apagará da minha memória, ano em que declamei meus versos e rimas nas mais diferentes quebradas, conheci pessoas maravilhosas com ideais parecidos com o meu, e assim creio que consegui somar com meus poucos conhecimentos.


Agradeço de coração a todos meus parceiros do Coletivo Cultural Poesia Na Brasa que me acolheram e me fizeram sentir-me importante pelo que faço, pelo que escrevo e principalmente pelo que sou, fica um salve também para os reais escritores que conheci nesta caminhada.


Que fique claro que meu propósito não é de ganhar dinheiro com meus escritos e sim tentar resgatar alguns irmãos que estão passando por algum momento difícil na vida, através de boas mensagens que procuro transmitir em minhas rimas.


QUE SE CONCRETIZEM NOSSOS SONHOS E QUE SEJAM SEGUIDOS... TAMO100PREJUNTO.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

NA CONTRAMÃO DO MONOPÓLIO EDUCACIONAL

Com machados e machadadas estão querendo cortar nossas raízes
Livros, reflexões, poesias são fatos para construção de novas diretrizes
Entre deslizes e acertos, a caminhada não para
Sonho com a Terra em que a rima seja jóia e a impureza seja rara
Tomara que se concretizem nossos sonhos e que sejam seguidos
Um passo após outro é o caminho dos que hoje passam despercebidos
Fortalecidos estamos quando nos deparamos com um olhar verdadeiro
Enfurecidos ficamos quando nos julgam a agulha do palheiro
Muita calma, companheiro com paciência e coragem tudo será resolvido
Pois quem tentar quebrar esta fábrica de versos acabará num posso escuro e falido


Invenções arquitetônicas não suprem a carência de educação
Mesmo neste mundo multipolar ainda é possível se guiar pela batida do coração
O lema é se juntar e não sentir pena, ou seja, dó
Não quero ser o Chitãozinho, tampouco o Xororó, mas sim, o fio de cabelo que deixa feio qualquer paletó...


Não importa se a bermuda rasgada ou o pisante surrado incomoda o vizinho
É muito mais importante ser grato à vida, a ela dando carinho
De mancinho palmo a palmo tudo vai entrando no eixo
Cuidado, pois quem duvidou destas palavras encontra-se com remendos no queixo
Desleixo, descuido, ficar com a boca aberta ao não acreditar em união
Desacreditar que os ditos birutas, unidos estiam ao sol a bandeira da educação
Emoção que fica evidente quando a voz chega ao ouvido certo
Entupir de boas mensagens quem faz da sua folha, um grande deserto
Mais perto, mais longe, a distância vira detalhe quando os propósitos são significantes
Observem que a ponta do lápis é escura, mas nossas vidas podem ser mais brilhantes do que os mais puros diamantes


CHELLMÍ

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

MINHA FLOR

Essa é pra você meu amor
Essa é pra você minha flor
Minha flor não é branca, minha flor não é rosa
Minha flor é preta, formosa, cheirosa, pra mim maravilhosa


Essa é pra você meu amor
Essa é pra você minha flor
Minha flor não é branca, minha flor não é rosa
Minha flor é preta, estudiosa, guerreira, pra mim maravilhosa


Essa é pra você meu amor somente sua
Por você eu daria todas as estrelas e de quebra a lua
Na rua, na terra, na areia, observando o mar bravejar
Sei que meu gênio é forte, só você pra aturar
Quem dera se eu tivesse o dom de cantar igual Rael da rima, Radiographia, ala Pavarotti
Já que não tenho garanto meu ingresso no seu sorriso que é um show, logo de camarote
Quando o galo cantar eu quero estar ao seu lado
Futuramente casado com a paixão de eterno namorado
Tomar um porre dos seus carinhos e ficar bem chapado


Essa é pra você meu amor
Essa é pra você minha flor
Minha flor não é branca, minha flor não é rosa
Minha flor é preta, formosa, cheirosa, pra mim maravilhosa


Essa é pra você meu amor
Essa é pra você minha flor
Minha flor não é branca, minha flor não é rosa
Minha flor é preta, estudiosa, guerreira, pra mim maravilhosa


Nossos corações se juntaram e estão batendo na mesma sintonia
São partilhados momentos de paz, de harmonia e também de agonia
Nos teus lábios encontro um mel adocicado e incomparável
Tento te resumir em palavras, mas você é inefável
Minha flor é quem joga pétalas pra eu continuar na missão
Sua garra de guerreira é que aumenta o palpitar do meu coração
É o amor, é o protesto, é o sentimento, é a luta
Transpondo compaixão e empatia estamos buscando uma vida mais justa
Tão misteriosa e encantadora como os anéis de saturno
Minha flor eu te amo no período matutino, vespertino e noturno


Essa é pra você meu amor
Essa é pra você minha flor
Minha flor não é branca, minha flor não é rosa
Minha flor é preta, formosa, cheirosa, pra mim maravilhosa


Essa é pra você meu amor
Essa é pra você minha flor
Minha flor não é branca, minha flor não é rosa
Minha flor é preta, estudiosa, guerreira, pra mim maravilhosa


Para minha companheira Viviane.


CHELLMÍ * 30.11.2009

SENTIMENTOS OCUPANDO FOLHAS

Sem essa de negativismo, descruze os braços e não espere mais uma cena macabra
Vá defronte aos seus ideais, em prol da educação no real sentido da palavra
Tentar tirar da peste o cabra, e mostrar que aqui tem espaço pra todos
Pra estender a mão têm 10, mas infelizmente têm 100 pra passar vários rodos
Rodos e panos que não secaram no meu cérebro meu piso de ideias
Favelados, intelectuais, pobres, ricos, seguimos declamando pra diversas plateias
Não é show, não é espetáculo, aqui você não paga pra ver alguém recitando
Aqui você se junta conosco pra fazer e acontecer e ser mais 1 sempre somando
Andando, correndo, em disparada iremos à busca de algo incerto
Certo é que para dispor a vocês boas influências vamos ocupar até o deserto


Feito uma bola de neve que cresce infinitamente
É o verso daquele que fortalece o elo da corrente
Os caminhos são percorridos a pé, de skate ou de bike
Entenda que o negativismo são os pinos e nosso sentimento o impressionante strike


Se a poesia for líquida, tome-a no gargalo da garrafa
Se estiver num imenso cardume, apenhe-a com uma boa tarrafa
Abafe o som da tristeza e observe a melodia que vem do seu coração
O fortalecimento da mente é um dever contínuo e talvez a mais pura lição
União, insistência, e prazer que não se perderá em caçamba de entulho
Seja mais um batuqueiro contra a opressão e faça muito barulho
Em cada deslize da caneta vejo a invasão onde estava ermo
Vejo a cura do papel pálido que já não se encontra enfermo
Escolha o termo, fica a seu critério a análise dos meus pensamentos
Transpondo meus versos, meu coração e meus dedos se unem e o resultado são meus reais sentimentos

Chellmí*13.08.2009

domingo, 26 de julho de 2009

NESTA LONGA ESTRADA DA RIMA


Se um dia casa cair, ressurgiremos dos escombros e rimaremos sobre os entulhos
Versaremos em pedras sobre pedras e se preciso em pedregulhos sobre pedregulhos
Barulhos que atordoam a mente podem ser rebatidos facilmente
Com o rabiscar no rascunho em busca duma nova nascente
Consequentemente as palavras tocarão os corações endurecidos
Inteligentemente os corações ficarão molengas, porém mais protegidos
Perseguido pelos fiscais da vida alheia vou procurando meu espaço
Me esquivando dos mesmos e com as rimas fortalecendo o laço
Laço que cada dia fica mais afetivo
Pois para apagar os maus fluído faça da informação o seu principal corretivo

A folha brilha atraindo a caneta novamente
A ponta deslizando no papel fortifica a mente
A ponta de cada dedo lateja ao ver o tal brilho
Nessa longa estrada da rima sou mais um andarilho

No labirinto do meu pensamento estou procurando a saída
Enquanto não a encontro vou seguindo nas batalhas da vida
Inseticida, mata-ratos nada disso exterminará meu sentimento
Anticorpos conquistados com doses de felicidade e também de tormento
Investimento feito agora para ser contemplado no futuro
Nunca desembarquei meus versos no porto, mas estou sempre seguro
Escuro, claro, ofuscada, não importa a visão
Apanhe uma luneta e focalize sua lupa na mais bela missão
Missão cumprida, que o dim dom da bondade badale em seu peito
Que nossas lutas se propaguem do caminho mais extenso até o beco mais estreito

A folha brilha atraindo a caneta novamente
A ponta deslizando no papel fortifica a mente
A ponta de cada dedo lateja ao ver o tal brilho
Nessa longa estrada da rima sou mais um andarilho

domingo, 26 de abril de 2009

sábado, 7 de março de 2009

ARGUMENTO POSITIVO


É o protesto que discorre entre linhas e traços
É o poeta e seus ouvintes efetivando seus laços
Passos, passos e mais passos, vou rumando defronte ao verso
Quando nos encontramos, é a união de sentimento e progresso
O marulhar do mar inspira a escrita mais calma
A reivindicação do rimador aguça sua alma
Feito uma sauna que esquenta e faz com que sua camisa fique encharcada
São os versos ferventes que te livra da mais difícil emboscada
Os problemas são freqüentes, mas a arte encontra espaço
Pois hoje a elite treme e os periféricos estão fazendo um arregaço
Enquanto o pensamento brotar da raiz do coração nunca vamos parar de escrever
Vamos regar nossas mentes pra ajudar essa árvore se fortalecer



Fortifique sua mente, observe além do que está exposto
Procure o ideal, faça tudo com gosto
Porque no rosto fica expresso o real sentimento
Sendo a positividade o principal argumento



Tem gente que se espanta e fica em choque, como se estivesse numa cadeira elétrica
Outros já se deleitam com uma boa levada e uma interessante métrica
A rimaria é uma fabrica de rimas cujas peças são feitas e revisadas
Pra que chegue um bom material em seus ouvidos e que estas idéias sejam repassadas
O mundo cospe fogo feito São Paulo, Afeganistão e Vietnã
Isso prova que temos que contra-atacar e não se acomodar no divã
Ao invés do fogo cuspiremos boas mensagens, fazendo do verso uma arma potente
Equiparando-se a Al Gore no documentário “Uma Verdade Inconveniente”
Então, sente o peso da responsabilidade que carrego comigo?
Se seus sentimentos estiverem ao relento, faça com que o papel seja seu eterno abrigo



CHELLMÍ * 06,07.03.2009

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

SIMPLESMENTE VERSUS COMPLEXO


Consequentemente as interrogações aparecem num ritmo frenético
Vou sem manter padrão on-line, cine Cult ou criticar o plano estético
A cada toque na caneta, uma emoção diferente
Rabiscos, traços, atos, pensamento fervente
Borbulhante, ardente, que taca fogo e a labareda se espalha
Pronto pra esquentar a rima e amolá-la com minha navalha
Então retalha a batalha e escolha com calma seu lado
Desmascare o canalha, que serás contemplado
O cuidado com as ações entra na mente e se entoca
Enquanto a classe dita alta provoca, vou descrevendo a maloca
Se não te toca, me toca, ver, escutar e prosseguir calado
Erga a cabeça, berre e grite e não se faça coitado
Que a terra não dê mais frutos se eu não te ajudar na missão
Aguarde a colheita farta e planeje uma nova plantação


Abra a porteira, saia à rua, minudencie sua visão
Até no mais simples complexo se aprende uma lição
Complexidade simplesmente não é a única solução
E ser simplesmente complexo não preenche o seu vão


Não se preenche a lacuna quando não se faz por onde
Seja trem-bala na vida e quando precisar seja bonde
Rapidez, calma, balanceamento necessário
Embriaguez, trauma, que contrário hilário
Um calvário o dia-a-dia de quem só vive o complexo
Um santuário de quem faz do simples complexo um valioso anexo
Reflexo aguçado de quem observa tudo e se empenha
Assopre a brasa do Chellmí e queimarás muita lenha
O degelo ocorrerá quando a lenha pegar de vez
Muita água invadirá o seu intimo aí verás realmente o que fez
Pare, respire, conte um, dois, três
Prossiga, se inspire, e da persistência seja freguês
O papel e a tinta proporcionam um ósculo perfeito
Resumindo, o protesto é uma infinita estrada e o silêncio um beco estreito


Abra a porteira, saia à rua, minudencie sua visão
Até no mais simples complexo se aprende uma lição
Complexidade simplesmente não é a única solução
E ser simplesmente complexo não preenche o seu vão


CHELLMÍ * 30.01.2009